Quatro passos para a criação de um roteiro para aprender inglês

© Rubens Queiroz de Almeida

Ao estudar uma língua estrangeira é muito importante que aproveitemos todas as oportunidades para aumentar nossa exposição ao idioma. Quando eu dava os meus primeiros passos no aprendizado do inglês, na década de 80, esta exposição não era tão fácil. Tínhamos os filmes no cinema, mas com legendas em português (o que de certa forma atrapalha), músicas e mais nada.

Para ouvir falantes nativos eu usava o rádio Transglobe da Philco, que conseguia pegar a BBC de Londres em ondas curtas. Mas era um suplício, pois o ruído era muito grande, o que tornava ainda mais difícil distinguir o que estava sendo falado. Para descobrir a pronúncia de uma palavra tínhamos que perguntar a alguém, um professor ou um nativo do idioma. Em vista do que temos hoje, naquela época era difícil, muito difícil. E nos anos 80 ainda não havia Internet no Brasil. Já imaginou?

Mesmo assim, na época eu montei um roteiro de estudos que me permitiu avançar nos estudos e chegar à fluência do inglês, e você também pode fazer o mesmo, com ainda mais facilidade. Hoje, com a Internet, a quantidade de material em inglês para praticarmos é enorme, o que pode ser bom e ruim ao mesmo tempo. Bom (ou ótimo) porque basta abrir o computador para achar praticamente qualquer coisa. Ruim porque podemos nos perder em meio a tanta coisa. Esta situação foi descrita no livro The Paradox of Choice – Why More Is Less, de autoria do psicólogo Barry Schwartz. De maneira muito simplificada, quanto mais opções temos, mais difícil fica tomar uma decisão.

A grande quantidade de opções dificulta o foco e consequentemente a montagem de um roteiro. Ficamos nos perguntando, “será que estou usando o melhor material?” e muitas vezes estudamos muita coisa sem a devida reflexão, simplesmente vamos passando por diversos conteúdos superficialmente. Quando não temos estratégias para fixar o aprendizado, podemos até mesmo estudar muito tempo, mas pouca coisa é retida. Como já afirmamos em outros artigos, é importante que façamos um investimento de tempo para fixar determinadas informações, como por exemplo, escolher uma frase ou situação, fazendo exercícios de visualização/imaginação e repetição. Ou então, selecionar uma música e ficarmos cantando esta música silenciosamente em nossa mente até que consigamos reproduzi-la integralmente.

Portanto, a principal mensagem deste artigo é muito simples: em meio a tantas opções, faça escolhas coerentes, tendo claro o seu objetivo de estudo e montando uma dinâmica diária que você conseguirá cumprir, no matter what. A questão do tempo a estudar é menos importante, podemos dedicar várias horas ou alguns minutos, o que importa é cumprirmos esta dinâmica todos os dias. É claro que o roteiro pode (e deve) ser mudado e atualizado conforme você vai progredindo, mas o principal é ter um roteiro.

Então vamos lá! Estes são os quatro passos para criar seu roteiro:

  1. Habilidades: Escolha quais habilidades você quer desenvolver: somente leitura? Leitura e Fala? Escrita? Audição? Todas?
  2. Tempo/dia: Defina um tempo diário para estudo, que seja viável para você cumprir todos os dias;
  3. Atividades: Escolha materiais e atividades que lhe agradem e divirtam (se for chato, você não irá cumprir a tarefa todos os dias) e que estejam coerentes com as habilidades que você escolheu no item 1.
  4. Progresso: Escolha uma maneira de acompanhar o seu progresso para que você se comprometa e se sinta estimulado a cumprir a sua meta diária. Pode ser por exemplo, riscar os dias do calendário sempre que o roteiro do dia for cumprido ou comentar com a esposa/marido que você atingiu sua meta. Não importa a forma, o importante é você mensurar e celebrar o seu progresso.

O tipo de roteiro a ser criado é uma decisão pessoal, mas relaciono abaixo, apenas como exemplo, uma proposta:

  1. Habilidades: Leitura, fala, escrita e audição.
  2. Tempo/dia: 1h.
  3. Atividades:
    1. Assistir a um episódio da série Friends alternando o idioma das legendas(20min);
    2. Selecionar um trecho do episódio assistido e praticar as frases e possíveis variações, por escrito (20min);
    3. Praticar conversação sozinho ou com um companheiro (10min);
    4. Ler uma matéria em inglês de um assunto que goste (10min)
  4. Progresso: Fixar um calendário na geladeira e riscar o dia, toda vez que a lista de atividades for cumprida.

Viu como é fácil?

Como eu disse, este é apenas um exemplo e você deve montar o seu roteiro com as atividades que mais goste e que estejam alinhadas com as habilidades que quer desenvolver. Por exemplo, se você adora ouvir música, pode substituir o “item a” (assistir ao episódio de Friends), por uma música de sua banda favorita. Mas cuidado: escolha uma música cuja letra faça sentido. Se você não precisa desenvolver a fala, pode aumentar o tempo que dedica à escrita. E por aí vai.

Uma dica é que você pode ampliar o tempo de estudo usando as pequenas janelas de tempo que aparecem no seu dia, como deslocamentos em ônibus, intervalos no trabalho, etc. Use estes intervalos para praticar as estruturas gramaticais que selecionou. Se possível, use sempre a visualização/imaginação para criar a cena em sua mente daquilo que está estudando: fazer isso traz um componente emocional que nos ajuda a reter o aprendizado.

Outra dica para tornar o seu roteiro viável, é que o tempo para o estudo não precisa ser contínuo, você pode distribuir o tempo planejado ao longo do dia. Importante: se você não tiver uma hora diária para o estudo, qualquer tempo disponível já conta. 10 minutos, 20, 30, enfim, faça o que for possível.

Como eu disse, escolha atividades que lhe deem prazer e fuja de tudo o que for chato. Se a atividade for chata, em poucos dias você vai desistir. Isto é um fato! Da mesma forma, se você tiver mais tempo, melhor ainda, o seu aprendizado se dará de forma mais rápida. Faça o que for possível, mas todos os dias.

E lembre-se sempre: se você não fizer nada, o tempo vai passar do mesmo jeito. Fazendo um pouquinho todos os dias o tempo joga a seu favor. Se você aprender apenas uma palavra nova por dia, em um ano você terá aprendido 365 palavras. Considerando que com apenas um vocabulário de 250 palavras você consegue identificar cerca de 60% das palavras em um texto em inglês, aprender uma palavra nova por dia não é uma ideia tão absurda.

Por isso, espero que ao terminar de ler este artigo, você imediatamente crie o seu roteiro de estudos seguindo os 4 passos simples que eu trouxe para você. Não deixe que o paradoxo da escolha te paralise. Defina seus objetivos, atividades e comece a estudar ainda hoje. O tempo não para e se você não fizer nada, daqui a dez anos estará do mesmo jeito que está hoje e terá perdido muitas oportunidades em sua vida.

45150cookie-checkQuatro passos para a criação de um roteiro para aprender inglês

Lista Aprendendo Inglês

Sabia que manter o contato diário com o idioma é uma das principais sacadas para aprender inglês com facilidade?

Assine a lista "Aprendendo Inglês" e receba em seu email todos os dias, um texto ou uma piadinha em inglês.


2 comentários em “Quatro passos para a criação de um roteiro para aprender inglês

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *