A realidade é que você se encaminha para tudo que focaliza

Photo by Filippo Vicini on Unsplash

© Rubens Queiroz de Almeida

O escritor e palestrante (*)Anthony Robbins no livro Mensagens de um amigo, nos relata uma experiência muito reveladora.

Ao tomar lições de direção esportiva, ao derrapar e perder o controle do carro, a nossa tendência é olhar na direção de onde estamos indo. Porém, para controlar o carro, precisamos olhar para a direção na qual queremos ir.

No aprendizado de idiomas, os primeiros momentos são de frustração. Não conhecemos o vocabulário, não sabemos como pronunciar as palavras, não conseguimos nos comunicar, e não entendemos o idioma falado.

Este é um momento crítico, pois olhamos o tempo inteiro para nossas deficiências e não focamos nos progressos que fazemos nos estudos. Olhamos o tempo inteiro para o que está dando errado, como no exemplo do carro.

Entretanto, para progredirmos, precisamos olhar na direção de nosso objetivo final, da fluência, e celebrar cada pequena vitória ao longo do caminho.

O nosso cérebro é um mecanismo maravilhoso, e ele possui uma faceta que pode ser ao mesmo tempo muito positiva e também muito negativa.

O cérebro não distingue aquilo que imaginamos daquilo que é a realidade. Ou seja, conseguimos induzir sentimentos bons ou ruins a partir de vivências imaginadas.

Voltando ao aprendizado de idiomas, os sentimentos negativos do começo do aprendizado se traduzem em um mal estar físico, e portanto, a nossa tendência é desistir dos estudos para diminuir a dor.

Uma estratégia simples para eliminar esses sentimentos ruins é mudar o foco do que nos faz sentir mal, para, por exemplo, pensar em tudo de bom que conseguiremos ao alcançar a fluência no idioma. Ou então, pense no aprendizado como um processo, em que passamos por várias etapas, e em cada uma delas nos tornamos mais eficientes e autônomos.

Faça então uma experiência, pense em um evento terrível de sua vida, quando pensava que as coisas não poderiam ficar piores, e que tudo parecia estar dando errado.

Como você se sente agora? Péssimo, não?

Agora vamos fazer o contrário. Pense no dia mais feliz de sua vida, quando se sentiu realizado e o mundo inteiro sorria para você. Como você se sente agora? Bem melhor, não?

A escolha do que pensar, se o seu foco deve ser em tudo que dá errado ou no que está dando certo e é bom para você, é uma decisão sua.

Eu repito sempre em minhas aulas de inglês, devemos sempre comemorar as pequenas vitórias, não importa quão pequenas sejam. Se em um texto eu entendo 1 palavra a cada 100, devo ficar realmente alegre pela uma palavra que entendi, e não pelas 99 que desconheço. Porque sei que tudo é um processo de aprendizado, se eu persistir, se estudar todos os dias, com a atitude correta, certamente alcançarei a minha meta.

Para encerrar, cito novamente o escritor Anthony Robbins:

A realidade é que você se encaminha para tudo que focaliza.

A wonderful day to you!

(*) Anthony Robbins, ou Tony Robbins, é um estrategista, escritor e palestrante motivacional estadunidense. É um dos responsáveis pela popularização da Programação Neurolinguística (PNL). Ele também é um famoso coach. Realiza palestras sobre técnicas que permitem utilizar os recursos de comunicação interna e externa ao indivíduo de forma mais eficiente. Seus livros foram publicados nos idiomas mais falados. Fonte: Wikipedia

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.