Como usar a emoção para aprender inglês

Photo by Kelly Forrister on Unsplash

© Rubens Queiroz de Almeida

Vamos fazer um teste hoje? Antes de ir dormir, tente se lembrar de tudo que fez ao longo do dia, desde o momento em que acordou até o momento em que foi para a cama? Provavelmente você vai se lembrar de muita coisa, e da mesma forma, pode ter dificuldade para se lembrar de algumas coisas, como por exemplo, o que comeu no almoço.

Se eu te pedir para se lembrar do dia de ontem, a coisa já fica mais complicada. E uma semana atrás? Provavelmente você não vai se lembrar de quase nada.

Como é que pode então que você ainda se lembre vividamente, de coisas que aconteceram, 10, 15, 20 anos atrás?

Certamente, todos estes eventos dos quais você se lembra tão bem, tiveram um componente muito forte: a emoção.

Eu me recordo muito bem de vários momentos assim. Quando eu tinha 4 anos, eu caí dentro de um formigueiro. Além da emoção causada pela dor, eu me lembro da roupa que estava usando, uma camiseta vermelha do cavalo Fúria, que era uma série de TV de 1955. Além disso, me lembro de vários outros detalhes daquele dia, vivido tantos anos atrás.

Também no aprendizado, a emoção nos ajuda a reter a informação de uma forma extraordinária.

Existem várias coisas que podemos fazer para adicionar emoção ao nosso aprendizado.

Tomemos uma frase famosa, da série Friends. Em vários episódios, o personagem Joey, reclama quando as pessoas pegam um pouco de sua comida. Nestes momentos, ele grita: Joey doesn’t share food, ou Joey não compartilha sua comida.

No Youtube, tem um trecho em que essa situação ocorre. Para não esquecer desta frase, visualize o olhar enraivecido do Joey, gritando a frase famosa, o ambiente, e tudo mais que possa te ajudar a gravar a cena com o maior número de detalhes.

Experiências multisensoriais tendem a ser melhor lembradas. Ainda neste episódio da série Friends, que se passa em um café, tente adicionar elementos tais como o cheiro do café, o ruído de fundo do bar, a sensação de estar sentado naquele sofá confortável. Quanto mais sentidos você conseguir ativar, maiores as chances de se recordar daquele momento e dos diálogos.

O método da Lista de Ouro, que é muito simples e não requer nenhum dispositivo, celular, tablet, computador, consiste em selecionar 20 frases por dia e escrevê-las em um caderno. Embora pareça muito rudimentar, ele utiliza as técnicas de repetição espaçada e outra coisa muito poderosa: a escrita a mão.

Quando escrevemos, ativamos mais áreas do cérebro do que quando digitamos. Assim como ocorre com a visualização, ao escrevermos, retemos a informação de forma mais efetiva. As áreas ativadas envolvem o cognitivo e o racional, a memória corporal, e adivinhe: também o emocional.

Muitas vezes nos maravilhamos com pessoas que demonstram uma capacidade superior de memorização e retenção de informações, e nos sentimos inferiorizados frente a essas pessoas. Mas você já levou em consideração que estas pessoas simplesmente podem dominar, de forma intuitiva ou aprendida, técnicas que você desconhece?

Existem muitas técnicas para auxiliar na memorização, mas praticamente todas essas técnicas têm como base a emoção.

A emoção é uma cola poderosa, que gruda as informações em nossos cérebros, tanto as boas quanto as ruins, que ficam guardadas praticamente para sempre em nosso memória.

Por que então não usar essa cola poderosa para nos ajudar a aprender?

Pense nisso, e desenvolva as suas próprias estratégias para levar o seu aprendizado a níveis nunca sonhados.

Veja também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.