Como aprender a gramática sem estudar gramática

© Rubens Queiroz de Almeida

A poliglota húngara, Kató Lomb, no seu livro How I learn languages escreveu uma frase genial:

“One learns grammar from language, not language from grammar”.

Ou seja, você pode aprender a gramática a partir da língua, mas não a língua a partir da gramática.

Eu nunca estudei a gramática da língua portuguesa, a não ser como preparação para as provas que tive que fazer durante a minha formação escolar. A gramática da língua inglesa eu consultava apenas para responder às dúvidas de meus alunos, mas nunca me dediquei formalmente a seu estudo.

Eu estudei muito, mas o meu estudo consistia basicamente dos seguintes passos:

Atividade% Tempo
Leitura de literatura em geral70%
Compreensão da língua falada10%
Escrita, redações, etc.5%
Conversação10%
Exercícios5%

Só para lembrar, isto foi nos anos 80 e naquele tempo era muito difícil o acesso a filmes, séries, etc. Só mesmo indo ao cinema, ou para quem tinha mais dinheiro, comprando um vídeo cassete. Na minha cidade, Juiz de Fora, não havia locadoras nesta época, os vídeos vinham por encomenda do Rio de Janeiro. Um vídeo-cassete em 1982 custava CR$ 350.000,00. Corrigindo para valores atuais, o custo equivale a aproximadamente R$ 20.500,00. Então, não era fácil nem barato aprender inglês com séries ou filmes. Provavelmente, se eu começasse meus estudos nos dias de hoje, eu aumentaria o tempo dedicado à compreensão do idioma para 40% do tempo.

Mas eu acho que não fui prejudicado, eu adorava ler e tinha que colocar a minha imaginação para funcionar, para visualizar os ambientes dos livros que lia. Li centenas de livros, e por meio deles, pude aprender gramática sem estudar gramática. Tudo que fiz foi me expor o máximo possível ao idioma.

Qual é o objetivo final? Aprender a falar, escrever e entender o idioma estrangeiro, certo? A gramática é construída a partir da língua e não o contrário. Em algum momento na história os diversos povos começaram a se comunicar através da fala e depois, muito depois, estudiosos identificaram então as regras usadas e as documentaram.

Os exercícios que mencionei na tabela acima não eram exercícios de gramática. Eram exercícios do tipo em que você tem que identificar a forma correta do verbo, encontrar as palavras que estão faltando em um texto e outros semelhantes. Eu também gostava muito desta atividade e acho muito útil para nos ajudar a aperfeiçoar nossa competência no idioma.

Nos anos de 1996 e 1997 eu desenvolvi um projeto na Unicamp de leitura instrumental, do qual participaram 1.800 pessoas. Eu acredito que para você adquirir competência em um idioma, você tem que ter contato diário com a língua. Após o final do projeto, em 1999, eu criei o portal Aprendendo Inglês e passei a enviar todos os dias um pequeno texto comentado, um história engraçada ou algo do tipo. O objetivo era justamente fornecer um material agradável de se ler, todos os dias e aumentar a exposição das pessoas à língua inglesa. Este trabalho foi originalmente voltado para o público da Unicamp e algum tempo depois aberto para a Internet como um todo.

Para minha felicidade, muitas pessoas, por meio deste portal e de textos e outros materiais que fui criando ao longo do tempo, conseguiram aprender inglês sem frequentar escolas e também sem traumas.

Então para concluir, você aprende gramática indiretamente, a partir da sua exposição ao idioma. Estudar gramática é muito chato, começar pela gramática para aprender o idioma é um prenúncio muito forte para o fracasso. Use a gramática apenas para consultas, quando tiver dúvidas a respeito de algum ponto, nunca como material de estudo regular.

2 comentários em “Como aprender a gramática sem estudar gramática

  • 2 de junho de 2020 em 12:18
    Permalink

    Rubens, acompanho você desde a os primórdios do L-Dicas. Tenho costume de salvar, organizadamente, o que vc posta e olha que lá se vão anos. E sou muito agradecido por isto.
    Agora estou estudando inglês sozinho, e uso seus emails como complemento que são ótimos. principalmente os verbos preposicionados.
    Um forte abraço, Rubens.

    Resposta
    • 12 de junho de 2020 em 10:59
      Permalink

      Olá Julio, fico feliz em saber, muito obrigado por seu feedback. Precisando de alguma coisa avise! Um grande abraço!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *